25.6.08

Eu quero morrer como a Ruth Cardoso

Eu quero morrer como a Ruth Cardoso, rápido, sem esperar.
Eu quero morrer e ter meu marido chorando pela morte ter nos separado. Calado por lágrimas quentes derramando um choro morno em minha presença apagada. Emudecido pela falta de meu espírito num corpo morto dentro de um caixão sem cores.
Eu quero uma morte romântica, triste e sóbria, como a de Ruth Cardoso.

Eu quero morrer com rugas semelhantes às de dona Ruth. Quero que elas representem uma coleção de feitos. Quero morrer falando com um filho, quero morrer sem tempo de me despedir. Quero morrer por meu coração ter trabalhado além da conta.

Eu quero morrer como a Ruth Cardoso, sendo eu e não primeira dama. Eu quero morrer com minha história de vida calcada em pedra. Eu quero morrer sendo sócia de uma vida conjunta, quero ser completude e relevância para mais de pelo menos meia dúzia de pessoas, sendo isso reconhecido por não ter sido metade, mas meu todo.

Eu quero morrer sem óculos, como a Ruth Cardoso. Eu quero não precisar ver a última cena. Quero só sentir o alçar vôo das asas da minha alma pelo impulso das minhas pernas.

7 comentários:

Paulo disse...

Thais
A morte apesar de triste porque desaparecemos de tudo, é inevitável, tendo sido alguém honesto e sóbrio durante a vida, ela vem e nos leva calmamente, é o buscamos, sem dor, sem despedidas, apenas vamos.
Seu pai, Paulo

renata disse...

Uma morte boa a dela. Poupou os familiares de cuidados com um doente, o que, via de regra, causa conflitos. Sem tempo para despedidas ela se foi discretamente. Morreu com elegância. Restou a dor para o marido e os familiares. Para quem vai é mesmo bom morrer rápido e sem agonia. Que descanse em paz!

Quanto à sua morte, rezo para que esteja bem longe e que venha depois da minha!

Beijos

Thais França disse...

Pai, espero que a sua demore muiiitooo a acontecer. Como disse a Rê, é bom pra quem vai, ruim pra quem fica. Beijinhos, leitor assíduo.

Renatinha,
Ela foi personagem ativa, teve filhos e escreveu um livro. Vamos engatar logo uma primeira, puxar a segunda e mandar bala! Aliás, já tenho várias considerações sobre o documento que tenho aqui. Precisamos conversar a respeito.
Eu espero que nossa morte esteja longe! E que seja veloz...
rs

beijos

Thais França disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jussi disse...

Ai que triste!
Espero que seu coração trabalhe bastante e não páre rápido. Que Dona Ruth vá em paz e você fique!

Fabio Chiorino disse...

é, a cerimônia da Ruth foi emblemática, quase novelesca. Foi bonito, dentro do que a morte entende como beleza. Melhor do que cair da cama.

Thais França disse...

Pois é, Fabinho... novelesca. Até abstraí o fato das famosas amantes do ex-presidente. ;)