1.7.13

Manifesto legítimo

 
 
Nas últimas semanas ouvi muitas vezes o adjetivo "legítimo" sendo aplicado em diferentes contextos. Acho o verbo "legitimar" e os adjetivos "legítimo" e "legítima" muito bonitos, com som gostoso, refinado, firme e de significado extremamente valioso. Parei para pensar o quanto próximos da completude ficamos quando conquistamos sensações, amigos, amor, progresso, ascensão, bens, quando legítimos. Aliás o ideal seria que se não fosse legítimo, nem existisse.
 
Gosto de ter interesse legítimo no outro, admiro quem tem interesse legítimo, puro e de coração por suas causas, como tantos que vemos agora soltando a voz em manifestos em nosso País tão pobre de ideais legítimos. Aguardo por um amor legítimo que ande de mãos dadas comigo, rezo todas as noites e busco realizar o melhor que posso, todo santo dia, para que antes de morrer eu tenha oferecido a mais legítima vida, de corpo e alma ao mundo, e seja 100% agradecida por todas as oportunidades de legítimo (ou não) crescimento. E que, no final de tudo, quando Deus passar a régua na minha conta, eu vire paz. A paz de quem teve discernimento e sabedoria para legitimar uma vida inteira de feitos com humildade, respeito ao próximo e profunda gratidão. Espero que seja assim.

2 comentários:

www.sanfins.com.br disse...

Meu Deus, como você escreve bem!!!

Já pensou em publicar um livro?

Luís Gustavo Brito Dias disse...

- nos tornamos legítimos quando vivificamos o que somos e trabalhamos para sermos melhores do que somos.

parabéns! lindo post.