8.6.09

Mais um sobre o dito cujo (amor, Roma ou romã)



Eu também tinha uma teoria paralela de que temos que ter humildade para receber o amor. Porque o amor é muito maior que tudo e se ficamos tentando descobri-lo, entendê-lo, reconhecê-lo, acabamos por ter que matá-lo (ou fingir que ele não existe), para podermos agüentar que não damos conta de enquadrá-lo em formas concretas.

É preciso ser humilde para entender que amor é mistura de gazes (tem que ler esse textão abaixo pra entender o que quis dizer com isso) e, sendo volátil, é difícil segurá-lo para poder fazer medições de engenharia. É preciso ser humilde para assumir que sendo gás volátil e invisível, dá medo.

6 comentários:

Anônimo disse...

Medições de engenharia – esse é ponto!
O amor para o engenheiro deveria nascer com tarja preta avisando:
Imensurável, portanto faz mal à saúde.
Beijo Thais
Cláudio Maia

...Mari Calza... disse...

Olha, eu tenho uma teoria sobre o amor. Acho que sempre queremos um amor maior que a gente, daqueles absurdos, imensuráveis (no sentido de muuuuito grande, não somente de não ter medida). No meu caso, percebi que era um egocentrismo ao contrário. Eu achava que merecia um amor maior que eu, daqueles de filme, pra que EU me sentisse super privilegiada. Sei lá, algo do tipo.

Hoje entendi que o amor realmente não tem medida, tem várias formas, cores e gostos. Mas tenho certeza de que não existe amor maior que a gente. Não existe amor maior que eu. Simplesmente porque é o amor que é da nossa vida e não a nossa vida que é do amor!

Bjossss

Thais França disse...

Lindo, Mari! E doido! rs
Eu acho que o amor é algo de entrelinhas. É consideração, admiração, respeito, tesão e cumplicidade. No começo td é explosivo, depois acalma, pq o amor não é volúpia como é a paixão. Ele dorme e a gente tem que acordar na rotina. Mas quando é, apenas é. E é difícil explicar né... e tem que ser em pelo menos dois, se for em um é dor.

bjos!!

Thais França disse...

Cláudio, a fraude faz mal, o amor faz bem. Mas parece que o amor anda em extinção´e ninguém mais acredita nele. Virou piadinha, rsss

bjos!

Delcio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Delcio disse...

Se amor fosse teorizável, teríamos especialistas e bastava decorar e aplicar, como uma prova, além do que não existiriam terapeutas solteiros(as).

Basta simplesmente sentir, ser verdadeiro, leal ... fazer sua parte, o seu melhor, se isso não for "suficiente", é pq não era pra ser mesmo, simples assim.