20.2.08

O dia que uma drag queen colou em mim

Semana passada vivi um dia tão fútil quanto divertido. Se não bastasse eu entrar na academia decorada com florzinhas e borboletas, com mulheres fazendo exercícios em aparelhos com estofados revestidos em corino rosa e lilás, passei por elas e fui direto a um banheiro transformado em camarim.

Afastei umas plumas pretas e outras brancas que estavam logo na porta e sentei num banquinho esperando minha vez. Duas mulheres já estavam maquiadas e sorriam muito, se olhando no espelho e se sentindo lindas. O maquiador, um gay alto astral (“lóóóógico”, pras duas características dele), olhou para mim e perguntou: “Você é a próxima, baby?”. Eu disse que sim. Ele deu um pulinho e falou: “Vou adorar maquiar essa pele de pêssego!”.

Em seguida, começou a contar que seus pincéis eram Mac e que o batom X rosinha claro cintilante ficaria perfeito em mim. Dei uma risadinha e falei que queria fazer as fotos com uma maquiagem bem branca e um batom bem escuro, para ficar diferente. Ele espantou e mandou: “Nãoooo, baby! Está louca! Vamos fazer algo bem light pra você ficar beeemmmm linda! Vou prender sua franja com umas presilhinhas e ficará show!”.

Eu bem que quis confiar nele, mas, juro, não deu. Minutos depois, a moça que estava na minha frente saiu da cadeira de "diva" e eu ocupei o lugar. Tirei os óculos, fechei os olhos e o maquiador começou a passar uma super massa corrida no meu rosto (pra quê? Eu não tinha uma pele de pêssego?). Depois, agarrou um estojo de sombras com uma expressão facial incrível e começou a pintar meus olhos. Olhos dele arregalados. Rímel “curvas intensas” para dar “mais charme” nos meus... “delineador de alta fixação” para não borrar, não marcar, não sair, não escorrer.

As mulheres já maquiadas e duas outras que estavam na fila olhavam para mim, que estava ali de olhos fechados e pescoço pra cima, e comentavam entre elas que eu estava ficando linda. Gostei daquilo. Estava achando que tinha acabado quando o maquiador me disse: “Pronto! Vamos agora dar acabamento!”. Aí, o franzino mestre dos pincéis Mac passou um blush com “toque bronzeado da Amazônia” (???), pintou meus lábios com o batom rosa “super-ultra-perfect” para mim e gritou: “Linda! Arrasou!”.

Feliz, achando que me transformara numa bela modelo de capa de revista internacional, me olhei no espelho e não me vi, mas uma viçosa drag queen!

Tá. Ri muito. Olhei para as já maquiadas e elas estavam com maquiagens idênticas a minha. Mesmas cores, mesmo batom rosa super-ultra-perfect. Como já havia espiado o resultado do book fotográfico de outras, e havia gostado muito, dei uma aliviada e pensei que “devia ser maquiagem especial para a luz do estúdio e que tudo daria certo”.

Em uns minutinhos, já era minha vez de encarar os flashes. Entrei tímida no estúdio e aos poucos fui me soltando. Pra começar, quis colocar “um pouco de mim ali”, como sugeriu o fotógrafo, como se eu não fosse eu (teria ele percebido que não era eu, mas uma drag queen que havia colado em mim?). Soltei as presilhinhas, baguncei a cabeleira, puxei a franja pra frente. Todas as mulheres tinham as poses dirigidas pelo fotógrafo, mas eu teria as minhas poses! As minhas caras e bocas! Legal!

Comecei com nível begginer de dificuldade e fiz cara de louca. Depois, progredi na escala e fiz cara de boba. Seguiu cara assustada, cara de menininha do interior passando frio, cara sexy (com direito a ventilador para propaganda de shampoo), cara de má, cara de pilantra, cara de sofrida, cara de feliz, cara de muito feliz, cara de sapeca, cara de pensando na vida, cara de personal trainner (com a camisetinha da academia), cara de sou a Vera Fischer no auge.

Saí de lá me achando uma diva de sucesso e não mais uma drag queen. No dia seguinte veria o resultado e poderia comprar fotos extras (a academia daria só uma com a camisetinha deles). Pensei “puxa, isso vai sair caro. Vou me controlar e escolher no máximo dez, dependendo do preço...”.

Dia seguinte fui correndo ver o meu book “ma-ra-vi-lho-so”, como me garantira o maquiador. Para minha felicidade, das mais de cem, gostei de apenas três fotos, sendo que uma delas estava com um filtro roxo e preferi não comprar. Quem fez as caras e bocas foi a drag queen... eu não estava enganada! Uma delas ficou boa e comprei porque a blusa azul deu um contraste legal com o batom rosa super-ultra-perfect. Os olhos não apareciam (ufa! nada de drag). Podia ter ficado triste, mas saí me achando incrível: me livrei da drag que colou em mim no dia anterior, não precisei gastar com várias fotos extras (descobri que cada uma sairia por R$ 52) e minha pele continua boa. Sem massa corrida, ela realmente parece um pêssego! Oh!

12 comentários:

...Mari Calza... disse...

Que delícia ler issooo!! Fiquei imaginando vc lá de drag queen... Ah filha, não adianta, tem uma drag dentro de todas nós. A minha, vira-e-mexe surge. rsrsrsrs

Queria ver essas fotos viu. rsrs

Bjooo, passa no meu bloguinho

Thais França disse...

Rsss o problema é que eu acreditei que ela ficaria escondida sob os flashes.. se tivesse acreditado na primeira impressão, teria buscado adereços compatíveis à figura... e teria, hj, um book de dar inveja à galera do arco-íris! kkkk

bjos (passei lá)

Paulo disse...

Thais
Vc havia me contado no sábado, mas com tanta riqueza de detalhes, não, drag queen não sabia, me mande afoto , gostaria de ver, quão bela ficaste !
Seu pai,

Calebe disse...

Que loucura. Só você mesma para topar uma parada dessas.

Eu quero ver as fotos de drag - posta uma aí...

Fabio Chiorino disse...

concordo com calebe. Com tão boa descrição de um personagem exótico como esse, se faz necessária a publicação da foto da drag

Thais França disse...

ahahah lindinhos do meu coração, vcs não entenderam... cada foto saia por 52 conto, só comprei uma que não está drag (não aparece a maquiagem absurda dos olhos)! Ainda não a tenho... mas só pra matar a curiosidade, no meu orkut (ah! esse tréco! rs) tem uma seleção de bastidores do ensaio drag. rsss

beijos!

Kiara Carrera Guedes disse...

Beeeeeeeeeeeeeeeeeee, eu já disse: "se nada der certo, viro Drag!!!!" Estás comigo? hauhauhauahau

Thais França disse...

ahahahahhaahah
já vi que dá certo pra mim, tô contigo!!!

Bru disse...

ahh quero ver a foto!

o texto me fez ver sua empolgação e mtas caras e bocas!
mesmo não sendo suficiente para passar por drag nas fotos! rs

bjs

Thais França disse...

Muito caro, Bru. Quando a mulher me disse o preço do CD com tds as fotos (já tratadas com photoshop)eu disse: "mágina, não dá. Esse é o preço do curso de inglês que não estou fazendo!".
rsss

Thais França disse...

a! e não valia nem 10 reais...

Luciana S. disse...

Bem divertido seu texto! rsrs
Mas afinal, que lence foi este, a academia onde você treina resolver fazer um book das alunas?!