6.9.07

E as cortinas se fecharam...



É estranho quando um ícone morre. Parece que só quem sente dor são pessoas comuns, como eu, meus amigos, conhecidos. De repente uma doença se apodera e faz calar.

Lembro que já havia ouvido o tenor Luciano Pavarotti muitas vezes, mas a primeira que me emocionei foi com Miss Sarajevo. No momento que era ouvida e o show beneficente visto ao vivo pela TV, a situação, a letra, a música eram lindas. Bono estava lá, emprestando seu charme e fortalecendo seu posicionamento filantrópico diante de um cenário triste de guerra... mas o que fez a diferença, o que deu significado àquela música que marcava um momento histórico foi mesmo a expressão do sentimento despejado de forma violenta, grave, poderosa e sem abafadores, na voz de Pavarotti.

Foi quando ele entrou na música quebrando o ritmo baixo e delicado que Bono dava à canção, que eu desmoronei e creio que o mundo sentiu o real significado de tudo aquilo, assim como eu. Se Pavarotti fez diferença na música lírica pelo seu talento e técnica, para mim ele fez diferença quando suas notas tocaram forte meu coração. As cortinas se fecharam, mas ele soube fazer a diferença e ganhou a imortalidade.
E na paz.


Foto: Jason Szenes/EFE -14.mar.2004
Aqui, no álbum do Uol



(atualizado às 19h)
obs.: Escrevi merda. O show que tenho na memória foi o Pavarotti And Friends (o vídeo é esse aí). A música foi feita para um documentário sobre a guerra na Bósnia e dá referências do concurso da Miss Sarajevo, que foi realmente realizado em plena guerra para chamar a atenção das autoridades européias aos horrores que estavam acontecendo em Sarajevo. No desfile as candidatas entraram na passarela com um cartaz que dizia: "Não deixem que eles nos matem", cena que estampou muitas primeiras páginas de jornais. Nada como Google e Wikipédia para checar gafes. Mas sim, ouve arrecadações e movimentações antiguerra. É isso. Haveria ainda muito o que dizer... mas fica pra próxima.

5 comentários:

Calebe disse...

Putz, impossível não concordar com você... E eu, que também me emocionei pacas quando ouvi Bono acompanhando-o na música - porque dizer o contrário até dá pra dizer mas eu prefiro que não.

Ficou intenso isso, e não sei o que devo fazer é falar, falar, falar ou, calar, simplesmente calar - acho que é a segunda opção, né?


Beijos - bom feriado,

Calebe

Calebe disse...

P.S.: depois venho ler o atrasado, porque gosto das suas letras e faz tempo não apareço, passei só para dar um olá e desejar bom feriado.

Até mais!

Thais França disse...

Obrigada, Calebe. Um ótimo feriado para você também!

Calebe disse...

Miss Saravejo...

Thais França disse...

Tá vendo! Esse post só deu forass! ahahah