20.9.07

sem mais ataques

Corre, corre, vai mais rápido que você me desafia a virar maratonista. Se quiser nadar, tudo bem, ou pegar uma bike para descer as ladeiras mais depressa, ok, viro triatleta para te perseguir.

Se você sumir de vista, meto-me nas asas de um pardal e saio sobrevoando o mundo em busca de você. Se virar molécula, transformo-me em microscópio para te diferenciar entre todas as outras.

Sei que pode estar por aí sugando flores nesta primavera precipitada, te procuro nos jardins e, se te achar, não cortarei tuas asas, mas te entregarei minhas melhores seivas e fragrâncias.

Ando errando o caminho e batendo em mil paredes para conseguir achar você nesse planeta enorme e até já ultrapassei as fronteiras da atmosfera. Fiquei sem ar, caí lá de cima, o sol me queimou e acabei num cassino em Las Vegas. Já perdi muito no caça-níquel, no blackjack, na roleta, no baccarat. Agora cresci e estou na mesa de poker. Na minha mão, um royal straight flush está pronto para matar o jogo e eu te levar pra casa, assim que você aparecer.

7 comentários:

Paulo disse...

Thais
Certamente achará, não há um ditado que diz:Quem procura, acha ...
Seu pai, Paulo

Fabio Chiorino disse...

agressivo na medida certa. Belas analogias usadas.

Fabio Chiorino disse...

falei agressivo, mas na verdade....queria dizer desesperador...corrigido meu pensamento

Thais França disse...

:) Obrigada, Fábio. Sou adepta dos exageros. Rsss

Pai, sí sí! Mas o melhor é ser achado, né?! bjinhos

Thais França disse...

Fábio, em tempo: depois de tanto correr a gente entende que Quintana sempre teve razão.

Calebe disse...

Gostei. Tem uma coisa meio assim, sabe, nos seus textos que me faz querer ler sempre mais. Essa "coisa meio assim" de que falo é o imprevisível. Estamos correndo, quase como em uma maratona e aí, daqui a pouco, espere, cadê a corrida, estamos em uma mesa de poker com uma cartada matadora!

Aplausos.

Thais França disse...

Nossa, que elogio bacana, obrigada! Assim vou ficar me achando, rsss

Ultimamente ando meio sem inspiração... por isso criei a série Sextas Infames.. rss

Beijão, calebe!