24.9.08

momento chicletinho

Gosto de ouvir músicas de dor de cotovelo e não me encaixar, mas gosto mesmo é de me acomodar em suas notas meio desafinadas e na sua caixa de distorção (é assim que chama aquele tréco cheio de botões?). Gosto de torcer para você ficar mais um pouquinho e dar certo, gosto de ficar presa entre seus caninos. Gosto de ser sua presa, e de te prender também. Gosto do seu sofá vermelho e de colocar meus pés ao lado dos seus na cadeira fora de lugar e de ter medo do suspense à frente ou da sua cabeça baixa no batente da porta. Gosto que você seja assim, grande, pra eu me sentir pequena e sua, gosto de ser cuidada por você. Gosto de lembrar de você e de mim como passado, só pra ficar mais feliz sabendo que é presente. Gosto de você embrulhado ou só numa sacolinha. Gosto de você mesmo num envelope, sem nem etiqueta, sem capa e caixa de DVD. Não preciso ter o gênero, nem a data de gravação, ou a trilha sonora no estojo preto. Eu conheço a história e gosto dela. Gosto de tê-la sempre no play, como a fita "Os Caça Fantasmas", que minha irmã via cinco vezes por dia em 1990 e alguma coisa. Gosto de fazer mil coisas, mas você estar sempre no pensamento. Gosto de você ser parte e não incomodar. Você está em todos os lugares, até aqui.

5 comentários:

Fabio Chiorino disse...

eita, o tipo de cartinha que rende casamento. Ou pelo menos um registro sentimental que tem açúcar na medida certa

Paulo disse...

Thais
Esse é o que vc escolheu para ouvir e sentir, sinta-se recompensada pelo que lhe foi atribuido...
Seu pai, Paulo

Thais França disse...

Melado né, Fábio? Valeu pela visita (aliás, vc não desiste! obrigada!!!!)

Pai, vc achou essa frase no business bingo?

D. Harada disse...

Que lindo... suspiros...
É bom esse sentimento todo, né?
Não importa se é piegas, o que importa é sentir isso pelo menos uma vez. Bjs!

Marina disse...

já pensei em ser publicitária, sim. Mas eu te disse isso ? :D

desculpe a demora pra responder, mas eu não tinha visto seu comentário.

beijos !